Limites Digitais: O Impacto do Uso Excessivo de Computadores e Celulares por Crianças

No mundo moderno, a presença constante de dispositivos digitais tornou-se inevitável, e as crianças não estão imunes a essa realidade. Aproximadamente 70% das crianças entre 3 e 18 anos no Brasil possuem um smartphone, e o tempo médio de uso desses dispositivos é de 3,6 horas por dia.

Esse aumento no uso de tecnologia entre crianças tem sido acompanhado por preocupações sobre os possíveis efeitos negativos na saúde física e mental. Estudos científicos têm demonstrado que o uso excessivo de computadores e celulares pode contribuir para uma série de problemas, incluindo:

Impacto na visão: Estudos indicam que o uso prolongado de dispositivos eletrônicos pode contribuir para problemas oculares, como a síndrome do olho seco e a fadiga visual. Uma revisão sistemática de 2022, publicada na revista "Pediatrics", concluiu que crianças que usam dispositivos eletrônicos por mais de duas horas por dia têm maior risco de desenvolver miopia.

Distúrbios do sono: A exposição à luz azul emitida por telas pode interferir no ciclo circadiano, afetando negativamente o sono das crianças. Uma pesquisa realizada na Universidade de Toronto, no Canadá, mostrou que crianças que usam dispositivos eletrônicos antes de dormir têm maior probabilidade de ter problemas para dormir e acordar durante a noite.

Problemas posturais: O uso prolongado de dispositivos móveis pode levar a má postura e dores musculares, impactando o desenvolvimento físico. Um estudo realizado na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, mostrou que crianças que usam smartphones por mais de duas horas por dia têm maior probabilidade de desenvolver problemas de postura.


Dentre os países que adotaram medidas restritivas, o Japão destaca-se por proibir o uso de celulares e computadores nas escolas primárias. Essa abordagem visa preservar o ambiente educacional, promover a interação social e minimizar os impactos negativos na saúde infantil.

Uma pesquisa realizada em 2021 pelo Ministério da Educação do Japão mostrou que a proibição do uso de celulares nas escolas primárias foi bem recebida por pais e professores. Os pais relataram que seus filhos passaram a se concentrar mais nas aulas e a interagir mais com os colegas. Os professores relataram que as aulas ficaram mais tranquilas e que os alunos estavam mais atentos.


O uso excessivo de dispositivos digitais por crianças é um desafio global que requer atenção de pais, educadores e governos. Para minimizar os riscos associados a esse uso, é importante promover o equilíbrio entre o uso de tecnologia e outras atividades, além de monitorar o tempo gasto em frente às telas.

Algumas alternativas para promover o uso responsável da tecnologia por crianças incluem:

Estabelecer limites e regras claras sobre o uso de dispositivos digitais.

Envolver as crianças na escolha de atividades que não envolvam tecnologia.

Incorporar a educação digital nas escolas, capacitando as crianças a fazerem escolhas conscientes sobre o uso da tecnologia.


Embora a tecnologia desempenhe um papel crucial na sociedade contemporânea, é fundamental considerar os impactos negativos do uso excessivo de dispositivos por crianças. Olhando para países como o Japão, podemos aprender valiosas lições sobre a importância de estabelecer limites e promover práticas saudáveis, garantindo um equilíbrio entre o mundo digital e o desenvolvimento infantil.



A Melodia dos meus 40 Anos de Rádio

Três semanas se passaram desde que pisei nos estúdios da Rádio Nova Brasil, e a cada dia me sinto mais enlevado por essa experiência. Celebr...