COP 28 sem Biden e Xi Jinping: uma leitura apocalíptica do futuro climático

 

A COP 28, Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, começa nesta quinta-feira, 30 de novembro, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. O evento reúne representantes de mais de 190 países para discutir medidas para combater as mudanças climáticas.

No entanto, a COP 28 já começa com um sinal negativo: a ausência dos presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da China, Xi Jinping. Ambos os países são os maiores emissores de gases do efeito estufa do mundo, e sua ausência é um golpe para as chances de um acordo global eficaz no combate às mudanças climáticas.

A ausência de Biden é particularmente preocupante. O presidente americano havia prometido fazer das mudanças climáticas uma prioridade de sua administração, mas a guerra na Ucrânia parece ter tirado o foco desse tema.

Xi Jinping também não deve comparecer à COP 28. O presidente chinês tem sido um crítico da abordagem dos Estados Unidos para as mudanças climáticas, e sua ausência pode indicar que a China não está disposta a fazer concessões para chegar a um acordo global.

A ausência de Biden e Xi Jinping deixa a COP 28 com uma atmosfera apocalíptica. O planeta está fervendo, e os maiores emissores de gases do efeito estufa não estão programados para tomar medidas para impedir que a situação piore.

Ainda é possível que a COP 28 produza resultados positivos. No entanto, a ausência de Biden e Xi Jinping torna muito mais difícil chegar a um acordo global eficaz.

O que esperar da COP 28?

Apesar da ausência de Biden e Xi Jinping, a COP 28 ainda pode produzir resultados positivos. No entanto, é provável que os acordos sejam mais modestos do que o esperado.

Uma das principais prioridades da COP 28 é a implementação do Acordo de Paris, assinado em 2015. O acordo estabelece metas para reduzir as emissões de gases do efeito estufa.

No entanto, os países ainda estão longe de atingir essas metas. A COP 28 pode ser uma oportunidade para reforçar o compromisso dos países com o Acordo de Paris.

Outra prioridade da COP 28 é o financiamento para o combate às mudanças climáticas. Os países em desenvolvimento precisam de recursos para investir em energia renovável e outras medidas para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa.

A COP 28 pode ser uma oportunidade para os países ricos aumentarem seu financiamento para o combate às mudanças climáticas.

O futuro climático é sombrio

A ausência de Biden e Xi Jinping na COP 28 é um sinal de que o futuro climático é sombrio. Os maiores emissores de gases do efeito estufa não estão dispostos a tomar medidas para impedir que a situação piore.

Se os países não tomarem medidas urgentes para reduzir as emissões de gases do efeito estufa, as mudanças climáticas terão consequências devastadoras para o planeta.

O nível do mar vai subir, causando inundações em áreas costeiras. As temperaturas vão aumentar, causando ondas de calor, secas e incêndios florestais. Os eventos climáticos extremos vão se tornar mais frequentes e intensos.

O mundo está em um ponto de inflexão. As ações tomadas na COP 28 vão determinar o futuro do planeta.

A Melodia dos meus 40 Anos de Rádio

Três semanas se passaram desde que pisei nos estúdios da Rádio Nova Brasil, e a cada dia me sinto mais enlevado por essa experiência. Celebr...